Apoio

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 
























 

 


11º Dança e Movimento

Programação completa!

Entre os dias 26 de setembro e 12 de outubro o Pés no Chão apresentou a 11ª edição do Dança e Movimento. Ele traz para Ilhabela diversos grupos de destaque no panorama da dança no Estado de São Paulo, contribuindo para o enriquecimento cultural da comunidade e para a democratização do acesso à cultura. A programação se estendeu por três finais de semana. Além dos espetáculos, foram oferecidas oficinas de dança pelos profissionais convidados.

 



Elydio e Marisol

 

No primeiro final de semana o grupo de dança do Pés no Chão abrio o evento com a coreografia “Forró-Só”, criada pelas intérpretes Fernanda de Souza, Janaína Boechat e Maria Gabriela Nafalski. Nessa noite, os aclamados bailarinos Marisol Gallo e Elydio Antonelli, da Usina Cia. de Dança do Instituto Oswaldo Ribeiro de Mendoça, de Ribeirão Preto, apresentaram dois trabalhos: o ballet de repertório “Carmem” e “Filhos da Terra’. Ainda na primeira noite, o grupo Faces Ocultas Cia de Dança, da cidade de Salto, apresenta uma coreografia de Arilton Assunção, “Folcloreando”. A Faces Ocultas Cia. de Dança é um grupo que marca forte presença nos principais festivais de dança do país conquistando até agora mais de 230 premiações.

 



Folcloreando

No sábado, dia 27, a Cia. de Dança de São José dos Campos, dirigida por Renato Vieira, apresentou quatro trabalhos coreográficos: “Fluido da Vida” e “Sempre em dois”, de Ricardo Scheir, “Ad Aeternum”, de Andréa Pivatto e “Gabriela”, de Carlos dos Santos.




Fluído

 

A Cia. de Dança de São José dos Campos se destaca no cenário nacional, apesar de ter sido criada há apenas três anos, pela Fundação Cultural Cassiano Ricardo. Ela possui um extenso repertório de coreografias de autoria própria e de clássicos de repertório.

 



Gabriela

 

No domingo, dia 28, Key Zetta e Cia. fiaeram a pré-estréia de seu espetáculo “Pode-se apostar que o homem desaparecerá, como um rosto de areia no limite do mar”. O Projeto foi realizado pelo Programa de Fomento à Dança 3a Edição/SMC.

 



Pode-se apostar que o homem desaparecerá, como um rosto de areia no limite do mar


Key Sawao e Ricardo Iazzetta são parceiros artísticos desde 1996 e desenvolvem seus trabalhos de criação focados na pesquisa de linguagens corporais e suas inter-relações.
Dirigem o núcleo Key Zetta e Cia. onde realizam suas criações, convidando outros artistas para integrarem os processos criativos.

O segundo final de semana do Dança e Movimento trouxe, na sexta-feira, a Sopro Cia. de Dança, de São Paulo, com o espetáculo “Forró é Melhor”.O grupo aborda temas cotidianos e universais de forma leve e bem humorada. Em “Forró é Melhor”, a coreografia de Roberto Amorim explora a cultura regional de modo divertido e irreverente, com personagens bem caracterizados sem, no entanto, perder sua linguagem de dança contemporânea. No elenco: Ângela de Jesus, Daniele Marin, Keila Marinho, Junior Gadelha, Juliana Ferreira, Marcio Dantas, Roberto Amorim e Tatiana Portella.

 



Sopro Cia de Dança


Quem abriu a noite é o Grupo Jovem do Ballet Sopro. Ele apresenta a coreografia “Instantes”, que foi criada por Roberto Amorim, inspirada no poema com o mesmo nome, atribuído a Jorge Luiz Borges.

A J. Garcia & Cia. se apresentou no sábado com o espetáculo “Um Conto Idiota”. A companhia surgiu em 2005, para concretizar a proposta do diretor Jorge Garcia de criar sua própria linguagem estética em dança.

 



J. Garcia & Cia

 

Suas coreografias são marcadas por seqüencias de intenso vigor físico, delicadeza de poesia coreográfica e riqueza plástica que se contrapõem com a constante inquietação e busca para expressar o pensamento artístico através do movimento.

 



J. Garcia & Cia

 

“Um Conto Idiota” foi inspirado no universo dos palhaços do início do século XX e do cinema mudo. A concepção e coreografia são de Jorge Garcia. No elenco: Alexandre Magno, Amanda Raimundo, André Graça, Beto Amorim, Cynthia Domenico, Jorge Garcia, Marina Massoli, Natalia Mendonça e Patrícia Bergantin. A trilha sonora é de Aguinaldo Bueno. O espetáculo é adequado para maiores de 16 anos.


O último final de semana do Dança e Movimento trouxena sexta-feira, dia 10 de outubro, trabalhos de dança desenvolvidos por escolas, institutos e fundações culturais da região do Litoral Norte. Essa iniciativa busca incentivar a prática das artes cênicas e ao mesmo tempo o protagonismo dos alunos dessas entidades.

 

Apus Contemporary Dance

 

No sábado, dia 11 de outubro, a programação do evento trouxe a Apus Contemporary Dance, dirigida por Cristiane Azevedo. Será apresentada a parte1 do espetáculo “Instintos”, coreografia de Cristiane Azevedo e Ricardo Camargo, que contará com a participação especial de alunos e professores do Pés no Chão e da Secretaria de Cultura e Turismo de São Sebastião. Cristiane Azevedo é fundadora da Apus, coreógrafa e bailarina formada pela “Martha Graham School of Contemporary Dance” em Nova Iorque. Ricardo Camargo realizou como coreógrafo e diretor: “Poesia no Tempo” e “Te Sei”.

 

Meninos do Barão

 

Ainda no sábado, Os Meninos do Barão, dirigidos por Beto Regina, apresentaram trabalhos que compõem o show “Minha Alma”. Nele, a ABAMBA apresenta a nova geração do grupo com coreografias novas e remontagens, entre elas: "Aqui e agora" de Beto Regina, "Nova chance", de Clay Ferreira e “Cena pela força e luz".

Balé da Cidade de Taubaté

No último dia do Dança e Movimento, dia 12 de outubro, domingo, foi apresentado um espetáculo para as crianças – a peça “Pedro e o Lobo”. Ela foi dançada pelo Balé da Cidade de Taubaté, dirigido pela coreógrafa Alexandra Luppe. A obra de Serguei Prokofiev conta a história do menino Pedro, que sai pela mata para caçar um terrível lobo mau, e conta com a ajuda de três bons amigos para essa aventura: um passarinho, um pato e um gato.

Na programação noturna, o Balé da Cidade de Taubaté apresentou duas coreografias: “Epidemia Ilusória” criada pelo elenco e “O ano era...”, de Arilton Assunção.
Criado em 2006, e composto por 11 bailarinos com direção artística de Alexandra Luppe, o Balé apresenta pesquisas coreográficas que investigam temas contemporâneos. O grupo tem como coreógrafo Arilton Assunção. O Balé de Taubaté tem no elenco: Amanda Moura, Bruna Moraes, Elismara Prado, Gabriela Velasco, Jenifer Botossi, Henrique Paranhos, Ludmila Borba, Michel Santos, Paloma Almeida, Thiago França, Felipe Valentim, Carlos Oliveira.

Fechando o 11º Dança e Movimento o grupo Corpo da Vez, dirigido por Ton Carbones, apresentou o espetáculo “Silenciaram”, criado pelo próprio Ton e elenco.

 

Corpo da Vez

 

O grupo “Corpo da Vez”, formado na cidade de Diadema/SP em 2005, é constituído por bailarinos e atores em constante experimentação corporal. “Silenciaram” reúne quadros que traduzem, por meio do movimento, a condição humana num tempo de solidão, desencontro e degradação. Dançar uma humanidade partida, indivíduos em um coletivo agressivo, violento e por vezes cruel. No entanto, “Silenciaram”, como o nome, apresenta-se propositadamente irônico. Porque mais do que remeter à quietude dos que já foram silenciados, representa um grito de quem ainda pretende ir além. No elenco: Carolini Piovani, Cristina Ávila, Maercio Maia, Manuela Fadul, Orlando Dantas, Thaís Lima e Ton Carbones.

 

O Espaço Cultural Pés no Chão tem o patrocínio da Petrobras.
Ele fica na Rua Macapá nº72, na Barra Velha. Veja o mapa.

Entrada franca em todos os espetáculos.